Se teve uma cesariana é importante que saiba que deve cuidar a sua cicatriz, no só por uma questão estética, mas porque esta pode ser a causa de una serie de problemas que se apresentam no seu corpo no futuro como por exemplo, disfunções mecânicas relacionadas com o movimento da coluna lombar ( pélvis, vértebras torácicas e lombares , quadril etc. ), também no funcionamento da nossa digestão e eliminação (bexiga , cólon, reto , etc.) e possíveis alterações no funcionamento do útero e ovários .

 

Desde o início deste milénio , existe  um aumento exponencial de nascimentos por cesariana . Note-se que a OMS ( Organização Mundial da Saúde ) , em 1985, recomendou que os países não fazem mais do que 15% de cesarianas. Este número está longe de ser cumprido! Portugal terá uma taxa global de cesarianas acima dos 35 %, contando unidades públicas e privadas, tornando-se num dos países europeus com maior número de partos por cesariana.

 

O que é uma cicatriz?  

 

Não é apenas uma marca que se leva para a vida , mas também é um tecido cicatricial fibroso que rouba a capacidade natural da pele para deslizar em diferentes direcções. Além de perder esta função, faz com que adira aos planos profundos , especialmente se a cicatriz é de uma cirurgia . Estas aderências que limitam a mobilidade da pele sobre os músculos, articulações , órgãos , etc. Por conseguinte, irá actuar como um verdadeira disfunção articular.

Certamente, ter uma cicatriz pode ser a causa de muitos problemas e por isso torna-se um fator tão importante a ser avaliada e tratada, e, infelizmente, na prática médica (na maioria dos casos ) não lhe é dada importância.

Ter uma cicatriz pode significar que esta se adira aos planos superficiais, médios e profundos, causando uma grande limitação do deslizamento que a pele deve ter em relação às estruturas vizinhas. No caso da cicatriz causada pela cesariana , que fica sobre um conjunto de estruturas principais ( útero , bexiga e sacro , o trato final do intestino grosso ) pode ser a origem de muitas disfunções relacionadas com o movimento do corpo.

Isto não tem necessariamente que ver com o fato da cicatriz ter boa aparência ou não. Há muitas mulheres que têm uma boa cicatrização, e a sua cicatriz fica plana, fina e muito similar à cor da pele, e outras menos afortunadas formam quelóides.

É verdade que a questão estética de uma cicatriz é importante, mas não podemos esquecer que mesmo com bom aspeto a cicatriz  na superfície pode ser a ponta de um iceberg e pode não ser compatível com o que acontece dentro dela. Obviamente que uma cicatriz grossa, com relevos e avermelhada é mais provável que se possa tornar aderente e vai exigir mais cuidado, mas é um erro pensar que uma cicatriz plana e bonita não está aderente.

Na prática clínica de muitos osteopatas e fisioterapeutas é muito comum que cheguem pacientes com dores lombares e/ou pélvicas que não melhoram com tratamento convencional. Analisando melhor as suas cicatrizes (sobretudo a cicatriz da cesariana ou da apendicectomia), constatam que estão muito aderente. Depois de trabalhar estas cicatrizes, surpreendentemente melhoram o quadro de dores lombares. Então porque não damos às cicatrizes a importância que merecem?

 

Como podemos actuar?

O primeiro é ter informação. Desta forma podemos pedir ao médico obstetra (ou outro cirurgião) que dentro dos cuidados de uma cesariana, também inclua o ensino de como cuidar de uma cicatriz e eventualmente prescrever fisioterapia dirigida ao trabalho da cicatriz.

 

biodermis

 

Posso auto massajar a minha cicatriz? 

Sim! Assim que o médico lhe diga que já não há risco de abertura ou infecção.

Em seguida um guia simples (passo a passo) para iniciar o tratamento da cicatriz! Contudo aconselhamos que procure um fisioterapeuta se a sua cicatriz estiver hipertrófica ou dolorosa, pois este tem conhecimentos especializados para tratar da cicatriz e das suas consequência.

1. Em posiçaõ de barriga para cima, com a gema dos dedos de ambas as mãos, palpar a cicatriz da cesariana. Idealmente toda a cicatriz deve ficar coberta pelos dedos e estes devem estar orientados para os pés.
2. Mover a cicatriz, sem despegar os dedos dela, tentando tracionar-la (muito suavemente) para cima, para baixo e para os lados, tentando perceber a direcção que seja mais difícil.
3. Uma vez que saiba quais das direcções têm maior restrições, deve insistir de maneira suave para essas direcções.
4. Depois disso pode também agarrar suavemente a cicatriz com a ponta dos dedos e tentar levá-la para o tecto.
5. Por ultimo pode fixar uma parte da cicatriz com uma mão e com a outra realizar pequenos zig-zags no sentido da restrição.
6. Deve repetir diariamente e pode ir incrementando um pouco a compressão dos dedos para chegar a planos mais profundos.

Todo o processo não deve  demorar mais de 5 a 8 minutos.